Livros de fevereiro

Tenho lido livros absolutamente fantásticos, sem dúvida. Há autores incríveis – pessoas com uma capacidade fantástica de criar outros mundos, outros cenários, esquemas e estratagemas. Adorava, um dia, conseguir escrever um livro, uma história cheia de voltas e reviravoltas, que faça chorar, que surpreenda, que encha a alma. Foi o que alguns dos livros de fevereiro me fizeram.

As Flores Perdidas de Alice Heart

Livro as flores perdidas de Alice HEartQue delícia de livro. Nunca imaginei, quando comecei a ler o livro “As Flores Perdidas de Alice Heart”, que se tratasse de algo tão profundo, tão intenso. A vida de Alice foi envolvida em muitos segredos, desilusão e tristeza. Mas, no meio de cada infortúnio da vida, surgiram também muitas coisas boas. Apesar de tudo, a sua força e personalidade fizeram com que atraísse, também, pessoas fantásticas para a sua vida. Não foi tanto a história de Alice que me marcou neste livro. Foi, sim, a forma como se narram as situações de violência doméstica e de relações abusivas. Algo tão presente no nosso dia-a-dia em pessoas que conhecemos. Foi o perceber como pensa a vítima, perceber como pensa o agressor. Perceber como aquele homem que parece perfeito e que só quer viver para nós se torna um monstro e nos suga a alma, até nos tornarmos numa memória, num fantasma, numa concha vazia.

Adorei realmente este livro. A personalidade de cada personagem e a forma como os acontecimentos se desenrolaram. A leitura flui através da escrita da autora, que nos transporta para um mundo de flores, cada uma com o seu significado, e que também elas contam uma história. É uma leitura obrigatória. É uma narrativa bonita, que me fez chorar algumas vezes mas que, sem dúvida, me aqueceu a alma no final.

“A Dieta Keto”

Há uns anos, a minha mãe fez uma dieta cetogénica, recomendada pelo médico, porque estava em risco de ficar com diabetes. Na altura, perdeu muito, muito peso e afastou a diabetes da sua vida. Sempre fiquei curiosa com esta dieta e, recentemente, recebi o livro “A Dieta Keto” onde percebi um pouco melhor o conceito. No fundo, trata-se de um regime alimentar de baixo consumo de hidratos de carbono. O limite recomendado no livro é de 20g de HC por dia. Sou apologista que qualquer tipo de dieta ou regime alimentado tem de ser adaptado a cada pessoa. Todos temos hábitos diferentes, estilos de vida diferentes, corpos diferentes. Portanto, há que ter isso em conta quando se faz uma dieta e deve-se sempre procurar um especialista na matéria. Ainda assim, este é um livro fantástico para quem quer conhecer as bases da dieta cetogénica, bem como aceder a um cardápio muito vasto de alternativas deliciosas para todas as refeições do dia.

“Tu És Meu”

livro tu és meuQuando cheguei a este livro, confesso-vos que já tinha saudades de um thriller. Pode não ter sido o thriller mais espectacular que já li, mas tem uma história e uma forma de escrever que me cativou desde as primeiras páginas.

Francine Day é advogada especializada em Direito de Família e, por isso, os divórcios são a sua praia. É então que recebe um novo cliente, Martin Joy, um banqueiro extremamente rico que se está a divorciar da sua mulher, Donna Joy, que quer ficar com metade das suas poses. Francine está encarregue de defender os interesses de Martin mas a coisa complica-se quando os dois se envolvem romanticamente às escondidas. No entanto, Matin continua a encontrar-se com a sua (ainda) mulher, Donna Joy, que desaparece misteriosamente após uma noite que passaram juntos. Noite essa que Francine presenciou e que, por ter misturado álcool com a sua medicação (sofre de doença bipolar), não se consegue recordar de nada, sabendo apenas que chegou a casa perto das 2 da manhã e que o seu vizinho, Pete, foi quem a recebeu e sabe do que se passou. Quem matou, efetivamente, Donna Joy é o mistério a resolver neste livro.

Flores Sobre o Inferno

livro flores sobre o inferno“Flores Sobre o Inferno” foi uma surpresa muito boa e a autora, Ilaria Tuti, escalou imediatamente para o topo das minhas preferidas. Foi, sem dúvida, um dos três melhores thrillers que já li e fiquei cativada desde o início. Tudo começa quando é encontrado um cadáver sem olhos, que lhe tinham sido arrancados à unhada. A partir daí, começam-se a desenrolar outros crimes macabros mas a missão da equipa de Teresa Battaglia, a inspetora chefe da equipa de polícia responsável por apanhar o autor dos crimes, está cada vez mais difícil. Ao mesmo tempo que procuramos perceber quem é, afinal, o “monstro” macabro capaz de cometer tais atrocidades, vamos mergulhando na história de Teresa Battaglia, uma mulher num mundo de homens que esconde um passado triste e um segredo sobre a sua saúde. Descobrimos, também, outros segredos muito bem escondidos de experiências horripilantes. Crianças, adultos, crimes e segredos. Há de tudo um pouco e, para mim, o desfecho foi surpreendente. Sem dúvida, um thriller de leitura obrigatória e, para mim, o primeiro de vários livros de Ilaria Tuti que vou ler.

“Idiotizadas – O Fim dos Contos de Fadas”

livro idiotizadasO “Idiotizadas” é uma sátira que todas as mulheres deveriam ler. É um facto que crescemos a ver filmes da Disney. Que somos iludidas, desde pequeninas, com as histórias de princesas indefesas que são salvas pelos príncipes. Todas elas sempre belíssimas, com corpos esculturais. Querendo ou não, todas estas histórias marcam-nos e passam-nos uma imagem de que todas devemos ser “princesas”. Adoro todo o sarcasmo e humor não só nas falas como nas imagens, porque este livro funciona como uma espécie de banda desenhada. Pois bem… “Idiotizadas – O Fim dos Contos de Fadas” pega em todos os contos de fadas que conhecemos e adapta-os para o século XXI. É uma risada do início ao fim.

“Grey”

livro GREYLi a trilogia das “Cinquenta Sombras de Grey” assim que saíram e devorei tudo num instante. Eu sei que já estão para aí a revirar os olhos mas todos nós temos os nossos guilty pleasures. Esta trilogia foi, na altura, uma delas para mim. Por isso, quando saiu a versão masculina, “Grey”, fiquei altamente curiosa. Como ainda tenho a história muito fresca na minha cabeça, não houve qualquer surpresa. Continua a ser uma leitura super fácil, que não obriga a pensar, e que se lê num instante. Diria eu que óptima para as férias mas sem grande sumo, porque a história é o que se sabe e a complexidade dos personagens não é nada de especial – pelo menos agora, que reli, já mais adulta. Ainda assim, li o livro num instantinho porque, apesar de parecer um calhamaço, está cheio de diálogos.

O que achaste dos meus livros de fevereiro? Já leste algum?