Queda de cabelo

Muitas de nós sofrem de queda de cabelo, sem saberem bem o porquê. Eu sou um desses casos e noto que aquilo que antes era quase uma juba – cheia de volume, densidade e personalidade própria – se tornou com os anos um cabelo cada vez mais fino, e cada vez menos cabelo. A ajuda do Neogenic levou a que alguns cabelos voltassem, felizmente, a nascer, mas ainda estou longe de ter o meu cabelão do secundário e é algo que me preocupa bastante porque tenho muito medo de perder demasiado cabelo… e ficar quase careca.

Li algo que me preocupou e que confirmou aquilo que estava mais ou menos à espera: “Um estudo realizado pela Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos revela que existe uma relação entre as experiências de vida stressantes e a alopécia (queda de cabelo), uma condição que afeta 40% das mulheres”. Estão a compreender a dimensão da coisa, certo? 40% é muita gente e, para nós mulheres, o cabelo é muito importante para a nossa imagem e sobretudo para a nossa autoestima.

Existem muitas causas que levam à queda do cabelo, nomeadamente o stress. Quer seja pela tipologia da profissão ou por mudanças emocionais, o stress é o grande factor. O que acontece quando estamos stressados é que o nosso corpo deixa de produzir cabelo num ciclo que pode durar mais de seis meses. O pior é que nós, portugueses, somos os terceiros da União Europeia onde mais trabalhadores se queixam de stress no local de trabalho.

Claro está que os suplementos – tanto orais como atópicos – não fazem milagres se continuarmos a ser expostos a situações e momentos de grande stress. É fundamental, para quem sofre de queda de cabelo, aprender também a gerir o stress não só através da procura de técnicas que ajudem a controlar as emoções, como também através da prática de exercício físico. Isto porque a queda de cabelo pode ser uma bola de neve. Quando aparece repentinamente pode deixar-nos também com os nervos em franja porque ficamos obviamente preocupadas o que, por sua vez, gera mais queda. Por isso, é sempre preciso recorrer a um médico para se perceber qual o tipo de alopecia para que o tratamento seja feito em conformidade e, como tal, seja mais eficaz.

Foi assim que conheci a marca Viviscal. Vou agora começar a tomar os seus suplementos alimentares em forma de comprimidos, que promete ajudar a “manter o crescimento normal e saudável do cabelo”. Estou com as expectativas elevadas porque já li alguns artigos muito positivos acerca do resultado do tratamento com Viviscal, que inclui a toma de dois comprimidos por dia entre três a seis meses. Para além disso, os comprimidos são feitos com elementos naturais como a vitamina C, ferro e zinco (entre alguns outros).

Estou bastante curiosa para ver os resultados destes suplementos mas vou dar-vos, muito em breve, a oportunidade de embarcarem comigo nesta aventura e luta por um cabelo mais saudável. Curiosos e curiosas? Em breve podem saber mais sobre o passatempo que aí vem!

Entretanto, contem-me tudo! Sofrem de queda de cabelo? O que fazem para atenuar a queda?