Barbara Bação Living In B's ShoesVivemos num mundo esquisito. As mulheres deviam apoiar-se umas às outras. Torcer pelo sucesso alheio. As mulheres deviam saber o seu valor e perceber que o brilho que os outros podem ver nelas tem, exclusivamente, a ver com as SUAS atitudes e personalidade.

Neste mundo esquisito, ainda há mulheres que acham que, para parecerem bem aos olhos dos outros (em especial dos homens que querem engatar), têm de falar mal das outras mulheres. Como se o seu valor dependesse do facto de as outras parecerem mal.

Será que ainda não perceberam que podem mostrar ao mundo que são mulheres fantásticas sem precisarem de afirmar que as outras são horríveis e poucochinhas? Reconhecer que as outras mulheres são boas, não vos torna pior que elas! Revela, isso sim, que são mulheres maduras, bem resolvidas e que sabem que cada mulher vale por si só.

Falar mal de outras mulheres só demonstra recalque. Demonstra que se sentem ameaçadas. Talvez ela esteja feliz numa relação e eu não. Talvez seja porque aquele rapaz que eu gostava tenha preferido ficar com ela. Se calhar ela teve melhores notas que eu na faculdade. Se calhar comprou o carro que eu queria. Mas o que eu se calhar não vi é que ela lutou por aquela relação. Ou tinha um feitio mais compatível com aquele rapaz. Ou faltou às festas da faculdade para ficar a estudar. Ou juntou o máximo de dinheiro possível em vez de gastar em futilidades para comprar o carro que queria. E que, em vez de perder tempo a falar de mim, investiu em si mesma e na sua vidinha.

Posso falar sobre outra mulher e dizer que ela é linda. Que tem um peito fabuloso. Que tem um sorriso contagiante. Que tem uma inteligência fora de série. Que tem uma motivação e uma determinação invejáveis. Que consegue fazer com que qualquer homem olhe para ela. Porque não importa o quão espectacular ela é – isso não invalida que eu também não o seja. Conseguem entender isso?

Mulheres, queridas, quanto mais tempo passarem a falar mal dos outros em vez de se focarem nos vossos projectos e em se melhorarem a vocês mesmas, só se estão a prejudicar. Aprendem pouco, evoluem pouco e, na verdade, são vocês que ficam mal vistas. A mim sempre me ensinaram que “nas costas dos outros vejo as minhas”. Se vejo uma mulher que, quando está comigo, só fala mal dos outros, sei bem que só irá falar mal de mim nas minhas costas.

Os homens também não grandes fãs destes comportamentos e vêm este tipo de mulheres como más-linguas e conflituosas. O que não deixa de ser verdade, mas também são mulheres com muitas inseguranças e que, por isso, canalizam a sua frustração para as outras que lhes parecem mais bem-sucedidas e de bem com a sua vida.

Quem é que quer fazer vida com uma pessoa assim? Quem é que quer ser amiga de alguém assim? E isso gera depressões e afins porque, por passarem o tempo focadas em negatividade, entregam-se a esse estado de espírito constante sem perceberem que, no mal que dizem das outras, reflectem as suas próprias inseguranças.

Cresçam. Amadureçam. Invistam em vocês próprias para estarem bem convosco mesmas e com os outros. Não apoiem a negatividade. Incentivem, promovam e apoiem as mulheres que vos rodeiam. Espalhem amor em vez de ódio e frustração. E vão ver que, em menos de nada, a vida vos sorri ainda mais. Sejam muito felizes.