E eis que cheguei finalmente ao final da primeira semana de Insanity… Nem sei bem por onde começar porque o nome não podia ser mais adequado: É DE LOUCOS! 

No primeiro dia de treino, segunda-feira, comecei pelo Fit Test, onde anotei as repetições que conseguia fazer de cada exercício. É óbvio que, comparado com as pessoas do vídeo, fiz menos de 1/3 do que eles fizeram, mas nada de desanimar porque, no final do Insanity, já hei de ter muito mais resistência. Bem, concluído o teste, e passadas algumas horas, apercebi-me que os meus músculos ficaram tão irritados comigo que resolveram fazer greve… 
Na terça-feira estava completamente empanada e cheia de dores musculares. Mas desistir? Não… Fiz o primeiro treino a sério e, depois disso, ainda achei por bem ir a um concerto. Como se o treino não tivesse sido absolutamente horrível… Muito inteligente da minha parte, visto que parecia um pinguim a andar. Sorte a minha, não consigo fazer metade dos exercícios que eles fazem (pelo menos não com a agilidade e rapidez com que eles fazem), por isso mantive sempre o meu ritmo. 
Na quarta-feira ainda estava em pior forma… A sério que para andar, subir escadas ou sentar-me era muito doloroso e deve ter sido engraçado para quem teve o prazer de me ver neste lindo estado. Mas, e mesmo achando que não ia conseguir fazer nada de jeito no exercício do dia, lá fui eu fazer mais um vídeo. Custou? Oh yeah… mas bastam os minutos de aquecimento do Shaun T para os músculos deixarem de doer tanto. Fiz o vídeo até ao fim, a parar sempre que necessário e houve 1 ou 2 exercícios que aldrabei porque simplesmente não consigo perceber como é que aqueles tipos conseguem… Aquilo são mesmo cenas à ninja…
Na quinta-feira, e graças a Deus, apesar de ainda estar dorida já estava com menos dores. Menos mau porque era a minha folga e queria aproveitar para dar um passeio (algo não aconselhado para quem parece uma anormal a arrastar-se, que era o meu caso). Este era o dia do “cardio recovery”, para deixar o corpo recuperar um pouco da agressividade toda dos dias anteriores. O meu corpo bem agradece, visto que passou do 8 para o 80. Por outro lado, significa que o dia seguinte seria bem pior… Mas nada que a coragem não permitisse fazer. Este foi o treino mais leve dos que já fiz, e consiste apenas em fazer exercícios ao estilo do yoga, tudo com muita calma. Foi rápido e “fácil”, vá… 
Na sexta-feira foi intenso! O treino era o “pure cardio” e foram mais de 40 minutos de cardio intensivo. Só com o aquecimento fiquei KO mas, logo a seguir ao aquecimento são 5 minutos de alongamentos, o que dá para recuperar energias. Apesar de ter sido pesado, não foi tão mau quanto imaginei. Se calhar porque ainda não dei os 100% ou porque estou a ir ao meu próprio ritmo. Por ridículo que possa parecer, senti-me com mais resistência (deve ser um efeito placebo qualquer). 
Não sei se foi por ter ido feito quase escalada para ir para uma praia durante o dia, ou se foi por ter começado a tomar um dos suplementos que já falei (AQUI) mas o treino de sábado foi possivelmente o pior. Apesar do meu corpo se estar a começar a habituar, e de até parecer ter mais resistência (talvez por causa do suplemento), foi o treino em que mais suei (e possivelmente dos que mais me empenhei). 
Domingo é o merecido dia de descanso. O corpo também precisa de descansar, sobretudo depois de seis dias seguidos a fazer exercício (inédito para uma lontra preguiçosa como eu) por isso o dia vai ser reservado ao chill out com praia e comida saudável.

Conclusões gerais…

Realmente o Insanity não é para qualquer um. É preciso muita força de vontade e determinação para conseguir sair da nossa zona de conforto e arranjar tempo todos os dias (e motivação) para fazer estes treinos tão puxados. Eu própria tenho sérias dúvidas de que me consiga manter até ao final, mas vou ter de me obrigar a não desistir…
É preciso conhecermos os nossos limites e sabermos quando parar. As pessoas que estão do outro lado a fazer o vídeo são claramente pessoas com muito treino e experiência e nós, comuns mortais, não temos nem 1/10 da resistência física deles. Temos de beber muita água e, sempre que nos sentirmos a fraquejar, parar um pouco e voltar à carga. Nesses casos não vale a pena parar o vídeo, o que interessa é retomar assim que se sentirem capazes. Eu paro várias vezes e ainda não consigo acelerar como eles aceleram, mas faço ao meu ritmo e todos os dias tento dar mais. 
À medida que os dias vão passando, a nossa resistência vai melhorando e vamos-nos sentindo cada vez mais fortes e capazes de superar os nossos limites. O importante é mesmo não desistir porque os resultados serão visíveis mas também não nos armarmos em garganeiros e querermos fazer tudo logo na primeira aula, porque ninguém consegue.

Posto isto… venha o resto!