7 coisas que aprendi em 7 anos de blog

Faz este mês sete anos que dei início ao Living in B’s Shoes. Foram sete anos de muita aprendizagem e crescimento a nível profissional, fruto de muitos erros, de muitos sucessos mas, acima de tudo, de muito empenho.

Não me venham cá dizer que ter um blog é fácil. Bom, na prática até é. Qualquer um consegue criar um blog e escrever para lá umas coisitas. Contudo, fazê-lo de forma regular e consistente, ter uma estratégia e continuar a crescer ao longo dos anos é, isso sim, um desafio.

Se soubesse, ao início, o que sei hoje, teria feito muita coisa de forma diferente e, seguramente, teria um projecto ainda mais conceituado e profissional. Perdoem-me a modéstia, mas é que tenho uma paixão por este menino que me acompanha há sete anos e que me ajudou a ultrapassar alguns momentos difíceis.

Partilho convosco 7 coisas que aprendi em 7 anos de blog , para que possam aprender com os meus erros e projectar o vosso blog o máximo que conseguirem.

1. Ser profissional desde o primeiro momento

Não consigo enfatizar o suficiente a importância de sermos profissionais desde o momento em que decidimos criar um blog. Como, aliás, em todos os projectos aos quais nos dedicarmos nesta vida. Se querem criar um blog para chegarem a uma audiência, devem fazê-lo da melhor forma desde o início. Não descurar um único passo – o nome, o domínio, o email, as redes sociais, o email marketing, etc.

2. Ter apoio é fundamental

Ser profissional sempre, especialmente para quem está a começar, pode ser muito mais fácil quando se tem apoio. Ter alguém que nos ajude a conceptualizar o nosso blog desde a sua raiz, que nos oriente em termos de público-alvo, de temas, de redes sociais a adoptar, de como tirar partido de cada rede social, como abordar as marcas para conseguir parcerias, como aumentar o número de visualizações ao blog, o número de seguidores nas redes sociais, etc. é algo precioso. Pedir ajuda é um sinal de humildade que gostava de ter tido quando comecei. É por isso que as minhas sessões de Consultoria para Bloggers e Influenciadores Digitais estão a ser um sucesso – porque há cada vez mais pessoas interessadas em fazer bem as coisas. E, mal começam a ver resultados e a pensar fora da caixa, ficam ainda mais motivados e a ver os seus objectivos a concretizar-se. Se quiseres saber mais sobre as sessões de Consultoria e agendar já a tua, contacta-me através do email livinginbsshoes@gmail.com

3. O esforço compensa

Oh, meus amigos… Nada nesta vida se consegue sem esforço. Isso é um facto que todos sabemos mas que é tão fácil de esquecer. Um blog é um claro exemplo disso. Mesmo que o projecto tenha começado de uma forma menos profissional, há sempre uma maneira de dar a volta. Incluindo nas sessões de Consultoria, indico sempre que, por muito boas que possam ser as estratégias que apresento aos meus clientes, não vão funcionar sozinhas. São vocês que têm de se comprometer com o trabalho envolvido com ter um blog mas, com o tempo, vão ver os resultados que tanto ambicionam.

4. Ser responsável na comunicação

Temos de ter consciência que tudo aquilo que escrevemos ou dizemos na internet é recebido por alguém que está do outro lado. Temos a obrigação de termos a consciência daquilo que estamos a comunicar. Para o bem, e para o mal. Especialmente em situações em que apresentamos uma crítica ou abordamos assuntos mais “perigosos” como, por exemplo, a saúde, temos de nos resguardar sempre e proteger quem está do outro lado, incentivando a que consultem especialistas e que se trata, apenas, da nossa opinião/experiência própria.

5. Veracidade e transparência

Claro que devemos ser verdadeiros e transparentes em TODOS os aspectos da nossa vida. Mas quando damos a cara por um projecto digital, temos um compromisso para com os nossos seguidores/leitores de sermos verdadeiros nas opiniões que partilhamos, e de indicarmos quando se trata de uma parceria. Já tive parcerias em que me ofereceram produtos dos quais não gostei, e que acabei por não publicar nada sobre o assunto ou, então, apresentar o produto indicando que, no meu caso, não se adequou às minhas necessidades. Mas, acima de tudo, o meu compromisso é para com quem me lê e procura, no meu blog, uma opinião honesta. Não obstante, há produtos que me oferecem e que eu a-d-o-r-o e não me inibo de mostrar o meu entusiasmo só porque é uma parceria. Se gosto, falo bem. Se não gosto, ou não falo, ou sou diplomática na forma como falo sobre o produto.

6. Estar atento às tendências

O mundo digital evolui de uma forma tão feroz, que não estar atento às tendências é dar um tiro no pé. Seja tendências de temas para abordarmos no blog e/ou redes sociais, seja de aplicações ou novas redes sociais. Ainda assim, é preciso investigar primeiro as tendências, perceber se se adequam ao projecto que temos e ao nosso target e, depois de perceber como funciona ou do que trata, então sim, avançar. Mais uma vez, qualquer que seja o passo que dês, fá-lo com profissionalismo desde o primeiro momento.

7. Saber o que vale o nosso trabalho

Dizia-vos antes que ter um blog dá muito trabalho. E dá. É preciso pensar numa forma original e envolvente de contar a história que queremos contar (incluindo se for publicidade a um produto/serviço). É preciso fotografar para ilustrar o nosso artigo (e só nós sabemos o quão difícil é encontrar a luz certa, a composição certa, etc). Depois, é preciso editar as fotografias e o texto. Para terminar, há toda uma estratégia de divulgação nas redes sociais para chegar ao maior número de leitores possível. Sim, isto dá trabalho. Este artigo que estão a ler demorou não demorou menos de TRÊS horas a ser feito. Entre decidir o tema, delinear quais os tópicos que vos queria mostrar, escrever o texto, corrigi-lo posteriormente, decidir que fotografia queria para o ilustrar, fotografar, editar as fotografias e divulgação nas redes sociais. Este não é um artigo patrocinado, é um facto mas, se fosse, quanto cobrariam por ele? Aceitariam um sabonete que se vende no supermercado por 2€ como pagamento por três horas de trabalho (cerca de 0,70€ por hora)? Pensem bem antes de aceitar “migalhas” só para dizer que receberam algo grátis, mas garantam que têm um blog de qualidade no qual as marcas queiram investir (mais uma vez, as sessões de Consultoria fazem milagres!).

 

Uma última dica, e esta é de “borla” – divirtam-se! Se gostarem realmente do vosso blog e do assunto sobre o qual escrevem, será sempre muito mais fácil encontrarem a motivação para terem um blog a longo prazo, com o retorno que procuram.

E, já que estão por aí, OBRIGADA por estarem desse lado e contribuírem para o Living In B’s Shoes!

blog coaching com Bárbara Bação