6 anos de Living In B’s Shoes

Nem acredito que faz hoje precisamente seis anos que lancei o Living In B’s Shoes. Ainda trabalhava na Microsoft quando o meu chefe e todos os meus colegas me incentivaram a criar o meu próprio blog. Lembro-me de perder horas e horas a personalizar o meu blog (valeram-me as aulas de Edição Multimédia para entender melhor HTML) até tomar a decisão de tornar o blog público.

Quando o publiquei, tinha uma imagem completamente arcaica. Tudo enfeitado, cheio de bonequinhos e pirosices em cor-de-rosa. Aquilo que antes achava que era o máximo, hoje detesto e acho uma pirosada. É engraçado ver como os meus gostos mudaram ao longo destes seis anos, e de como se reflectiram neste projecto que foi crescendo e amadurecendo comigo.

De grandes enfeites, passei para algo minimalista. Deixei o Blogger e passei para WordPress. De artigos da treta, passei a concentrar-me mais em conteúdos com histórias. Recebi algum dinheiro e investi-o em formas de ir melhorando o meu blog e aquilo que publico. Investi em formação relacionada com o mundo digital para aprender a tirar o maior partido da Internet para espalhar a minha mensagem.

Conquistei várias parcerias, vivenciei momentos fantásticos e conheci pessoas incríveis. Sim, ter um blog pode trazer muitos momentos com glamour, festas, presentes e experiências inesquecíveis. Mas, tudo, também tem um lado oculto – aquele que poucos de nós falamos. Porque ter um projecto com alcance exige um esforço diário. Abdiquei de saídas e fins-de-semana fora com amigos e família para poder ir fazer artigos patrocinados. Deixo a comida arrefecer para poder tirar a fotografia “perfeita”. Passo menos horas a ler ou a ver televisão porque preciso de escrever artigos, tirar fotografias e editá-las. Tenho de fazer figuras sozinha na rua quando preciso de fotografias e não tenho quem mas tire. Ás vezes estou a viver certos momentos mas a minha cabeça já está a pensar em todas as formas que posso aproveitar aquele momento para um blog.

Mas vale tudo a pena quando olho para trás e vejo de onde comecei e onde estou agora. Se já estou onde quero? Longe disso! Sei que há um grande caminho a percorrer mas todos estes anos de experiência e todos os cursos que fui fazendo permitiram-me ganhar uma bagagem neste universo que me ajudou bastante até a nível profissional.

Hoje orgulho-me de poder ajudar outras pessoas a começarem o seu próprio blog com a orientação que me faltou quando comecei o meu. E de poder ajudar quem já começou mas se sente um pouco perdido a encontrar o seu caminho e a fazer um trabalho que destaque cada vez mais o seu blog dos outros. O Blog Coaching, que só pude começar a fazer graças ao meu próprio blog, tem-me dado um gozo tremendo. É fantástico ver projectos novos nascer, já com tanto potencial. Espero poder continuar a fazer nascer muitos blogs e a caminhar lado-a-lado com todos os outros coachees que tenho conhecido. Por isto dos blogs, como em tudo, só faz sentido quando nos rodeamos de pessoas. Quando influenciamos e nos deixamos influenciar.

E a todos vocês que me lêem e acompanham, quer tenham começado ontem ou há seis anos, OBRIGADA! Vou continuar a trabalhar para vos dar motivos para continuarem aqui daqui a seis anos.