5 formas de seres mais ecológico em 2020

O mundo precisa que tomemos medidas urgentes. Ás vezes, são os pequenos passos que todos damos que acabam por ter um grande impacto no meio em que vivemos. Se acho que um mundo 100% sem plástico seria muito melhor para o ambiente? Claro que sim. Mas é realista achar que, de um momento para o outro, todos vamos viver uma vida plastic free? Não. Mas as mudanças pequenas e progressivas têm o seu valor e têm o seu impacto positivo.

Aqui ficam 5 formas de seres mais ecológico em 2020 

1 – Comprar menos, em melhor qualidade

5 formas de seres mais ecológico em 2020#pub Era viciada em compras. Fazia muitas compras por impulso todos os meses, de peças e produtos que não só não precisava, como acabava por nunca usar. Agora, em época de mudanças, dei por mim a doar muitas peças de roupa ainda com etiqueta, porque as comprei por impulso e que nada tinham a ver comigo, ou porque a tendência já passou. Em 2020, o meu compromisso para comigo mesma é comprar menos, mas em melhor qualidade. Investir em peças que realmente me fazem falta, em tons neutros e modelos intemporais, para que possa usar ao longo dos anos. E, sempre que assim me for possível, irei optar por marcas nacionais e produções mais sustentáveis. Podem ser um pouco mais caras, mas a pegada ecológica é menos pesada. Afinal, cada objeto requer uma grande quantidade de recursos para ser produzido e levado até ao consumidor.

Esta camisola de malha da SheIn é um exemplo disso. Embora não seja de uma marca portuguesa, embora não tenha conhecimento quanto à sua origem, foi uma escolha pensada para durar no tempo pela qualidade do material (é possível analisa-la através das características no site). Os tons neutros são sempre mais fáceis de conciliar com o meu guarda-roupa, mesmo que ainda não seja um armário cápsula.

usa o código Q1livin para 15% de desconto em compras acima dos $60

2 – Eliminar o consumo de palhinhas de plástico

Palhinha Desdobravel MariaPalhinhaHá bebidas que simplesmente sabem melhor com palhinhas, eu sei. Um smoothie, um refrigerante num restaurante de fast food ou uma caipirinha, por exemplo. Contudo, o impacto ambiental das palhinhas, esse objecto tão pequeno e com uma aparência tão insignificante, é abismal.

Felizmente, há marcas amigas do ambiente que apresentam soluções de palhinhas para todos os gostos, incluindo palhinhas desdobráveis e portáteis, para andarem sempre no nosso porta-chaves. A sugestão é a Maria Palhinha, uma marca portuguesa com palhinhas reutilizáveis que, para além de esteticamente bonitas, são muito práticas.

3 – Transportar sempre um saco de pano para compras

5 formas simples de ajudar o planeta já!  Eram tantas as vezes que ia ao supermercado sem levar sacos comigo que enchi uma gaveta de sacos de plástico sem necessidade. Transportar sempre um saco de compras dentro da mala não custa nada – afinal, já andamos sempre tão carregadas com tanta tralha que não serve para nada, que um saco de pano não é significativo. Desde que ando com um saco de rede, que não voltei a usar sacos de plástico no supermercado. Sim, incluindo quando compro fruta ou legumes. E, quando vou fazer compras maiores, levo um saco maior dos que já tinha em casa.

4 – Andar menos de carro

Embora ande pouco de carro, desde que me mudei para Setúbal que, pelo menos por cá, ando quase sempre de carro. As emissões dos carros são poluentes, como tão bem sabemos, e trocar o meu C1 por um eléctrico, embora gostasse muito, ainda não é opção. A opção é mesmo andar menos de carro. Nas deslocações entre Setúbal e Lisboa, opto sempre por transportes públicos. E, dentro da cidade, estou a ponderar recorrer a uma bicicleta desdobrável, que torne mais fácil guardar dentro de casa. Há anos que não ando de bicicleta sem ser numa aula de cycling, mas parece-me uma excelente medida para poupar dinheiro, pôr o corpo a mexer e, ao mesmo tempo, reduzir a pegada ecológica.

5 – Produzir os próprios alimentos ou escolher biológico

Sabe-se que uma parte substancial dos gases de efeito de estufa são gerados pela produção em massa de carne. Consumir menos carne é uma das minhas resoluções para 2020. Basta definirmos 2 ou 3 dias por semana em que não tocamos em carne ou peixe, por exemplo, para fazer a diferença e influenciar quem nos rodeia. Outra opção pode ser, por exemplo, nunca jantar nada com proteína animal.

Ainda no ramo da comida, produzir os nossos próprios alimentos é uma solução para quem tem a sorte de ter quintais ou terrenos nos quais possa produzir. Eu, cá por casa, quero ter o meu cantinho de aromáticas. Não é muito, mas é o que consigo por agora. Espero que, um dia, venha a ter uma casa com um quintal espaçoso o suficiente para que possa ter uma pequena horta, com alfaces, cenouras e até árvore de fruta. Enquanto isso, as nossas escolhas podem e devem recair sob produtos orgânicos.