Living in B's Shoes Macacão
  • Peso da semana: 63,3kg
  • Peso da semana anterior: 64,7kg
  • Peso pretendido: 58kg

Quero começar por explicar o porquê desta fotografia. Quatro semanas depois de ter começado o meu acompanhamento com a Be-Slim, e mais de um mês depois de ter passado por um grande “desgosto”, começo a recuperar a minha auto-estima e a gostar do corpo que vejo ao espelho. E parte determinante deste processo tem sido não só a perda de peso como, sobretudo, a perda de volume. As minhas calças ficam-me mais largas e começo a gostar de me ver com peças que, antigamente, me faziam sentir um cachalote. Este macacão é um exemplo disso. Quando o vi pendurado na Bershka a olhar para mim, pensei: “Bem, experimentar não custa mas já sabes que este tipo de corte te faz (ainda mais) gorda e salienta a tua barriga.”. E, como a minha amiga também ia experimentar umas peças, decidi leva-lo comigo para o provador. Vesti-o e serviu. Ok, bom sinal. E, depois, ganhei coragem e olhei-me ao espelho.

“Espera. Ok. Isto até nem fica mal. A barriga nem se nota muito. Ok, nota-se um bocado os flancos mas se calhar, daqui a umas semanitas ou com uns collants redutores, a coisa melhora ainda mais. Ok, até que gosto de ver. Ok, isto há um mês atrás não me ia ficar nada bem. Ok, se ele me visse assim, ficava de queixo caído. Ok, tenho de levar isto comigo para me motivar a emagrecer mais um bocado para isto me ficar ainda melhor. Damn, será que estou a ficar ‘hot’?”

E foi assim que, incrédula, acabei por levar um macacão que teria sido incapaz de comprar, ou de gostar de ver em mim, nos últimos dois ou três anos. Daí ter escolhido esta fotografia porque, de facto, me senti minimamente atraente com esta roupa, coisa que já não acontecia há muito tempo. E tudo devido às mudanças que o meu corpo tem vindo a sentir (primeiro, por motivos pessoais e, agora, por um esforço conjunto meu e da Be-Slim). Provavelmente, muitos de vocês olharam para a fotografia e pensaram que eu nem estou nada de especial e não percebem o porquê de tanto alarido. Mas, para mim, que tenho de me ver todos os dias ao espelho, é progresso. E para quem me conhece e sabe o estado em que estava, também reconhece que há grandes diferenças.

Não tem sido fácil e vacilo muitas vezes, é um facto. No entanto, uma das principais aprendizagens que estou a fazer ao longo destas semanas é “compensar” e procurar as alternativas mais saudáveis. Se vou jantar ou almoçar fora a um centro comercial, procuro normalmente o Vitaminas (salada de rúcula com ovo cozido, camarão, delícias do mar) ou o H3 (hambúrguer grelhado com salada). Claro que me custa ver quem está ao meu lado a comer aquelas pizzas deliciosas ou massas cheias de molhos mas também eu me vou poder deliciar com isso de vez em quando – se possível ao almoço. E, sabendo que vou ter uma refeição altamente calórica como essas, vou tentar compensar nos dias anteriores, seguintes e no próprio dia. É tudo um jogo de equilíbrio que, ainda que não seja fácil ao início, sei que se vai tornar quase natural. Afinal, são três meses de acompanhamento e de aprendizagem.

Por exemplo, na terceira semana o meu peso estava estagnado no dia da pesagem (provavelmente devido à altura do mês em que me encontrava, por fazer muita retenção de líquidos) e, como tal, a nutricionista Be-Slim que me acompanha, a Sara, ligou-me e pediu-me para passar lá para revermos o plano nutricional. Era suposto que já tivesse perdido mais peso e, portanto, fizemos um pequeno ajuste para esta segunda e terça-feira. O resultado? Não passei fome em momento algum e o peso baixou. Querem mais motivação que esta? Para verem que não minto, aqui está a fotografia que tirei hoje mesmo, em jejum, assim que acordei:

Be Slim - Peso

Obrigada, Be-Slim! Vão lendo os meus diários semanais nesta aventura: