Livro "Viver Depois de Ti"

Quando vi o trailer do filme “Viver Depois de Ti”, fiquei com a pulga atrás da orelha. Tendo como protagonistas uma das estrelas de “A Guerra dos Tronos” e outro de “Os Jogos da Fome”, e sendo um romance, tinha tudo para me chamar a atenção.

E, num dos meus passeios pela Bertrand, decidi trazer o livro antes de ver o filme. O livro, de Jojo Moyes, conta a história de Louisa Clark e Will Traynor.

Louisa é uma jovem de 27 anos com um gosto muito peculiar no que diz respeito a roupa. Namorada de um jovem que vive a pensar em atletismo, embora ela nada tenha a ver com qualquer prática desportiva, fica sem trabalho quando o cafézinho onde trabalha fecha. No centro de emprego, encaminham-na para o único trabalho que ela, que agora tem de sustentar a  família, poderá safar-se.

É assim que conhece o milionário Will Traynor. Will, ligeiramente mais velho, sofreu um acidente há dois anos que o tornou paraplégico. Limitado pela sua condição física, que só lhe permite mexer a cabeça, Will tem um feitio muito complicado e isolou-se do mundo no anexo da sua casa. Se, ao início, Will e Louisa pareciam chocar e dar-se pessimamente mal ao ponto de ela tencionar deixar o emprego, com o desenrolar da história, cria-se uma ligação muito especial entre eles.

Ambos são pessoas muito caricatas, à sua maneira. Ela estimula-o para o tentar tirar de casa e viver a vida de aventuras que ele antes tinha. Ele desafia o seu lado intelectual, obrigando-a a perceber as possibilidades que a vida lhe oferece.

Juntos vão viver uma história de amor muito pouco convencional, que nos deixa seriamente a pensar nas condições de vida dos paraplégicos, confinados para sempre a uma cadeira de rodas e a dependerem de ajuda dos olhos para qualquer coisa que necessitem. Mais do que isso, faz-nos reflectir muito na questão da eutanásia. É que Will fez uma promessa aos pais e deu-lhes seis meses. Após esse prazo, Will quer ir para a Suíça e pôr fim ao seu sofrimento. Louisa é a última esperança dos pais para o convencer do contrário mas, até que ponto, não é um acto de egoísmo?

Deixou-me a pensar bastante sobre este assunto, e no quão delicado é. Não vos vou contar as aventuras que viveram, nem se Will leva ou não o seu plano a cabo. Vou-vos apenas dizer que Jojo Moyes escreveu um livro que se lê muito bem, com personagens bem conseguidas, que me roubou tanto risos como lágrimas.

Podem encontrar o livro à venda nas livrarias do costume. Eu comprei na Bertrand por 17.70€.