Há três semanas celebrei um dia muito especial – o aniversário da minha relação. E, para dias especiais, não há nada como uma refeição especial. Foi por isso que decidi marcar mesa para dois no restaurante Brasserie de L’Entrecôte, no Chiado.

Antes de me debruçar sobre o espaço e sobre as iguarias que nos foram servidas, quero desde já pedir desculpa pela fraca qualidade das fotografias. Infelizmente, a lente da minha máquina fotográfica sofreu uma queda, o que me impossibilitou a sua utilização nesta noite. E, como sabem, não há smartphone nenhum no mundo que, num ambiente escuro e sem tripé, consiga tirar fotografias equiparáveis a uma DSLR.

Posto esta breve introdução, quero começar por dizer que o espaço está bastante bem localizado, mesmo no topo da Rua do Alecrim (junto ao Largo de Camões). Se vierem de carro, embora caro, têm sempre o estacionamento do Largo de Camões (pagámos quase 5 euros por menos de três horas de estacionamento). Se vierem de transportes, podem subir pela zona do Cais do Sodré ou sair no metro do Chiado.

Quando chegámos, às 20h30, o restaurante estava cheio. Valeu-nos a reserva que tinha feito para a zona de não fumadores. Fomos, então, encaminhados para a nossa mesa e qual não foi a surpresa quando reparei que um casal de amigos também lá estava, precisamente na mesa do lado. Também eles escolheram a Brasserie para celebrar uma ocasião especial.

Como gostamos de bebidas frescas e frutadas, pedimos um Vale da Calada Rosé que começámos a beber enquanto provávamos os couverts: manteiga e uma selecção de patés deliciosos, que servimos no pão. Cada paté com a sua cor: um verde, um castanho e um alaranjado e, sinceramente, tentei decidir qual era o meu preferido mas gostei igualmente de todos.

La Brasserie de L'EntrecôteEnquanto a conversa fluía (o rosé fresquinho também ajudou), chegou a nossa salada de entrada. Para mim, a salada de alface e rúcula com molho vinagrete e nozes. O nome diz tudo e esta simplicidade, para mim, é sempre uma equipa vencedora, especialmente se as nozes vierem trituradas, como é o caso. Para ele, o cocktail de gambas: uma salada de alface, servida no copo, com gambas e um molho delicioso.

La Brasserie de L'Entrecôte La Brasserie de L'EntrecôteAté que, conversa puxa conversa, chegou o bem dito entrecôte (que podia ter sido seitan, se algum de nós fosse vegetariano). O entrecôte, o único prato principal da casa, é servido com o fantástico molho brasserie e acompanhado de batatas fritas.

La Brasserie de L'EntrecôtePedi o meu bem passado, e foi assim que me foi servido. Extremamente tenro, o entrecôte estava precisamente no ponto em que gosto da carne. Quanto ao molho, é divinal e inesquecível. Trata-se de um molho consistente e com um sabor bastante intenso. Percebe-se o sabor da pimenta, das ervas e do alho, bem como o da mostarda. Não sei ao certo quais são os restantes ingredientes deste molho, mas sei que é de chorar por mais.

La Brasserie de L'EntrecôteQuanto às batatas fritas, cortadas bem finas e estaladiças, são o acompanhamento perfeito. E, claro, não há nada como misturá-las no molho. Foi o que fiz até à última das batatas, na segunda dose que me vieram servir (e, se não tivesse comido entradas, tinha conseguido comer ainda mais).

La Brasserie de L'EntrecôtePodia ter ficado por aqui, e acreditem que tinha ficado mais do que bem. Mas não… arrisquei experimentar as sobremesas, porque um dia não são dias. Eu escolhi uma panna cotta de frutos vermelhos e mangericão, e ele a sopa de morangos com gelado de baunilha e canela em pó.

La Brasserie de L'EntrecôteEle só me deixou dar uma dentada do gelado, e estava óptimo. A sopa de morangos é deliciosa mas eu sou suspeita, porque adoro morangos. Mas a minha panna cotta…. Eu sei que estou de dieta e que foi uma grande facada que lhe dei mas valeu cada dentadinha. Adoro mangericão e adoro frutos vermelhos por isso, para mim, foi a mistura perfeita.

Claro que saí da Brasserie mais do que satisfeita ou, até mesmo, quase a rebentar!

É por isso que vos recomendo vivamente que experimentem este espaço. A comida é divinal e vale mesmo a pena a visita, seja em que dia da semana for.