Açores Roadtrip

Querida mãe,

Hoje, completas mais um aniversário e é mais um ano em que celebramos a dádiva que é ter-te nas nossas vidas.

Sei que nem sempre tudo te correu da forma mais fácil ou bonita. Optaste por colocar sempre os outros à frente daquilo que eram os teus sonhos, os teus desejos e as tuas ambições. É tão teu, existires para os outros. Dás tudo o que tens a quem podes, sem pensar duas vezes. Mas isso fez com que te privasses de tanta coisa bonita que esta vida tem para oferecer. Mas fizeste-o de coração, e isso torna-te uma pessoa tão incrível, mãe.

Desde que nascemos, eu e o mano, a tua existência ganhou outro sentido. Fizeste tudo o que estava ao teu alcance para nos proporcionares a melhor infância e educação possível. Recordo com carinho todas as noites em que, para me adormeceres, contavas uma história. Mas tinham de ser histórias diferentes, que tu, todas as noites, criavas e contavas só para mim. Foste tu quem me incentivou a puxar sempre pela minha imaginação, a criar histórias com um final feliz, onde a heroína é dona de si mesma e uma guerreira.

Lembro-me, também, de quando me cantavas os “pássaros do sul”, com a ternura de embalar da tua voz. Acho que é também graças a ti que gosto tanto de cantar. Lembras-te quando me quis disfarçar de rabanete? E tu cedeste à minha vontade, fazendo sabe Deus o quê para que tivesse um fato de rabanete. Obrigada por isso, mãe.

Sabes, mãe… se algum dia tiver um filho, espero poder ser um décimo da mãe incrível que és. Uma pessoa com valores do antigamente, quando a bondade, a lealdade, o perdão e o empreendorismo ainda eram características de louvar numa pessoa. Tu tens tudo isso e muito mais. Tens uma aura tão bonita, mãe. Como é que não vês isso? És muito mais Mulher do que aquilo que vês quando te olhas ao espelho. Os teus olhos, sempre tão expressivos, que transmitem calma e serenidade. O teu sorriso que é calor, que é amor. As linhas que te traçam o rosto são o fruto da tua experiência. És dona de uma inteligência, perspicácia, serenidade e imaginação fora do comum. Tudo em ti é fora do comum, porque já não há pessoas assim, como tu.

Tudo em ti me inspira a ser um ser humano melhor, um reflexo de ti. Sei que, há alguns anos, não te dava o devido valor. Sabes como é… os adolescentes querem é festa, estar com os amigos e andar na boa vida. E tu, quando cumprias o teu papel de mãe, como deve ser, e me obrigavas a pôr os estudos e a educação em primeiro lugar, nem sempre eras valorizada. Mas é graças a ti, ao teu exemplo e ao teu pulso firme, que completei tudo aquilo a que me propus e que aprendi que amar verdadeiramente uma pessoa é, também, saber dizer-lhe que não. E só agora entendo o quanto custa dizer que não. Enfrentar lágrimas, gritos e palavras que magoam para garantir que estamos a fazer o melhor pela pessoa de quem gostamos é tudo menos fácil – é doloroso. Mas amar e educar assim o obrigam. E ninguém o fez tão bem quanto tu.

Chocámos tantas vezes, tu e eu. Porque tu és calma e doce. E eu sou caos e ácida. Saio ao pai, como tu bem sabes, e só agora, mais crescida, consegui ganhar um pouco da calma que me tentaste transmitir. Ainda assim, estou longe de ter a sabedoria e a tranquilidade que tu tens e emanas. Acho que nunca a vou ter. Parte de mim será sempre um furacão, com tempestades que só tu consegues acalmar. Felizmente, crescemos uma com a outra e sei que hoje somos mais unidas que nunca. Hoje, já sabemos lidar uma com a outra nos piores momentos, e conseguimos uma cumplicidade que irá continuar a crescer ao longo da vida. Porque agora, sim, eu entendo tudo aquilo que representas para mim, e sou invadida por um sentimento de pânico terrível ao imaginar uma vida sem ti ao meu lado. É que sabes, mãe, és a minha consciência. És a pessoa que me aconselha sempre com sabedoria, que mais me quer bem. És o pilar que sustenta o meu ser.

E, até hoje, não encontrei abraço nenhum neste mundo que me saiba tão bem como o teu. Quando me envolves nos teus braços, sinto que nada mais existe à minha volta. Todos os medos, todas as inseguranças, todas as tristezas desaparecem. Porque ali, nos teus braços e no teu colo, não há mal nenhum que me atinja.  Haverá lá abraço melhor que o da nossa mãe?

É um facto que todos os filhos dizem isto dos seus pais, mas nenhum deles tem tantos motivos para dizer isto como és: és a melhor mãe do mundo. Pela mãe, mulher e filha que és. Por tudo o que fazes, por tudo o que representas, por tudo o que és.

Que seja mais um de muitos anos em que celebramos a existência de um ser humano tão bonito como tu.

Amo-te, mãe.