Novo Seat Ibiza

Quando tirei a carta de condução, tinha pânico de conduzir.

Depois de andar, durante a carta, a conduzir um carro a gasóleo e super fácil de manusear, passei a andar com o carro da minha mãe – um Clio de 98, a gasolina. Para uma pessoa que tenha nascido para ser um ranger das estradas, não haveria qualquer problema. Contudo, para a minha pessoa, o Cliozinho era o mesmo que conduzir um camião – uma embraiagem super pesada que eu, jeitosinha como sou, estava sempre a deixar ir abaixo. Resumindo e concluindo: durante uns meses deixei de conduzir e voltei a andar à boleia.

Foi apenas quando uma das minhas melhores amigas, a minha pequenina Oh Maria, me levou para uma zona sem trânsito e me obrigou a tirar de lá o carro se quisesse voltar para casa, que a coisa se voltou a dar. Durante uns tempos andei tipo louca para todo o lado com o carro… e para todo o lado entenda-se na minha cidade, até Sesimbra ou, na loucura, até ao Montijo, Alcochete e Almada. Atravessar a ponte para Lisboa? Jamais em tempo algum…

E lá andava eu com o Clio da minha mãe, já uma verdadeira destemida, quando lhe destruí o carro. Até hoje não sei como não vi as luzes do outro carro (isto se ele vinha, realmente, de luzes ligadas naquela noite cerrada) mas, a sair de um estacionamento, levei literalmente com um carro que vinha a descer a uma velocidade simpática. Resumindo: o meu carro foi projectado para fora da estrada mas, felizmente, foi só um susto e ninguém se magoou. Um susto e um carro que foi para a sucata, visto que o arranjo do bichinho de ’98 era mais caro do que o próprio carro.

Decidi, então, comprar o meu próprio carro e deixar de andar com o carro dos meus pais. Apesar de a minha mãe insistir em querer que eu conduzisse o dela (um novo que ela viria mais tarde a comprar) para que não tivesse de investir tanto num carro, o sentimento de culpa não ia parar de me assombrar. Assim, se destruísse um carro, seria o meu. E foi então que o encontrei – um C1 em segunda mão que me acompanha há quase quatro anos. Na altura, era mesmo aquilo que queria – pequeno, económico, citadino e feminino. Contudo, à medida que vamos crescendo, as necessidades vão evoluindo e os gostos também.

Não me entendam mal – eu adoro o meu carro. Apesar de ser o meu namorado que actualmente anda com ele, eu adoro-o pelas viagens incríveis que já fizemos juntos, por ter sido o meu primeiro carro e por ter sido nele que consegui, finalmente, conduzir em Lisboa (gozem à vontade mas, para mim, foi um passo gigante).

Mas, dizia-vos eu, as coisas mudaram. Agora sinto que preciso de um carro mais robusto, que me dê uma maior sensação de segurança. Também preciso de algo mais espaçoso, porque sou eu, o Pedro e a C* e, em caso de querermos ir a algum lado, precisamos de espaço e conforto que, sendo muito honesta, o meu carro não tem.

O novo Seat Ibiza

Não sendo nenhuma especialista em carros, tenho dado por mim a prestar atenção a novos modelos que vão surgindo, bem como a pequenos detalhes que fazem a diferença. E, quando fui esta semana à apresentação do novo Seat Ibiza, apercebi-me do quanto seria feliz num automóvel à séria, e não tanto num “brinquedo” como o que tenho.

Novo Seat IbizaSem dúvida, esse é o meu próximo investimento e, quem sabe daqui a um ou dois anos, já tenha amealhado o suficiente para comprar um. E, quem sabe também, se o Seat Ibiza em champanhe não será mesmo a minha escolha.

Novo Seat IbizaQuerem saber porquê? Primeiro, porque tem uma excelente incorporação com o telemóvel, sendo o único automóvel disponível 100% conectado graças à opção Apple Car Play, Android Auto e Mirror Link. De entre outras coisas, permite carregar o telemóvel sem precisar de carregador e controlar chamadas, sms e playlist através do painel de controlo ou do volante. Tudo características muito futuristas para mim, que ando com um carro que, com muita sorte, lê CDs!

Segundo, porque tem algo fantástico especialmente para nós, mulheres. Chama-se Keyless Entry Sistem e faz com que possamos fechar e abrir o carro sem precisar da chave na mão. Basta que esteja perdida dentro da nossa mala, como acontece 99% das  vezes, que conseguimos abrir à mesma o veículo.

Novo Seat IbizaPara além destas características, o novo Seat Ibiza tem muitíssimas outras. Por exemplo: Front Assist, Cruise Control Adaptativo, sensores dianteiros e traseiro de estacionamento, câmara de visão traseira, conectividade Full Link, etc.

Novo Seat IbizaEm relação ao design do carro, acho que segue, sem dúvida, as linhas da Seat. É muito jovem, urbano e mantém a linha desportiva que já nos acostumámos no Ibiza. Já por dentro, é super elegante e confortável, e não dá vontade nenhuma de sair de lá dentro.

Novo Seat IbizaAliás, no evento de apresentação do novo Ibiza, reencontrei a Cristiana, do blog Salto Alto, e a Susana, do blog Ansiedades, e já nos conseguia imaginar a fazer toda uma Road Trip – com as nossas músicas preferidas, com o ar condicionado no máximo {sim, que este calor não está a dar tréguas a ninguém} e muitas aventuras para contar.

Novo Seat Ibiza Novo Seat Ibiza Novo Seat IbizaE agora, a informação que toda a gente quer realmente saber: os preços. Os preços arrancam nos 15.355 euros para o motor 1.0 MPi de 75cv e variam, claro, consoante os extras.

Preços Ibiza:

  • MPi 75cv Reference: 15.355 euros
  • MPi 75cv Style: 17.055 euros
  • TSi 95cv Reference: 15.968 euros
  • TSi 95cv Style: 17.668 euros
  • TSi 95cv Xcellence: 19.168 euros
  • TSi 115cv Xcellence 19.783 euros
  • TSi 95cv FR: 19.168 euros
  • TSi 115cv FR: 19.783 euros