Melhor_Irmao_Do_Mundo_

Mano, 

O primeiro grande amor de uma mulher é o seu pai, e posso garantir-te que é verdade no que me diz respeito. Mas tudo mudou quando os pais me anunciaram que ia ter um irmão. Tinha, na altura, seis anos quando recebi a notícia e o teu nascimento deu-se cinco dias antes do meu sétimo aniversário.

Eu era, até então, do meu lado materno, a primeira neta e a primeira sobrinha. Do lado paterno, era também a neta mais próxima, uma vez que os restantes netos estavam em França. Fui, como podes imaginar, uma criança muito mimada e feliz – embora com regras, disciplina e valores fortemente incutidos.

Apesar da excitação de ter um irmão mais novo, senti ciúmes nos primeiros tempos. De repente, toda a atenção que era para mim passou a ser dividida. E eu vivia dividida entre um amor profundo por ti, aquela criança adorável com uma juba enorme, e uma ciumeira parva de quem queria ser o centro das atenções – sou leoa, tens de me dar o desconto.

Os anos foram passando e os ciúmes desapareceram à medida que nos fomos tornando mais cúmplices e amigos. Tivemos algumas turras, mas muito poucas, felizmente (irra, que és difícil de aturar quando te chateiam). Graças a Deus que 99,9% do tempo somos melhores amigos, companheiros e muito idiotas. A sério, quem nos vê a rir que nem loucos de coisas estúpidas não percebe que, normalmente, até somos pessoas sãs. Acho que, até hoje, os pais ainda não conseguem perceber de onde nos sai tanta estupidez quando estamos juntos.

Adiante… Admirei-te ainda mais quando fomos morar os dois. Eu sei que sou desarrumada e muito faladora logo de manhã, quando o teu cérebro ainda não está a funcionar, e que isso te chateia, mas tu lá me vais aturando com a tua paciência santa (quando a tens).

Hoje fazes 21 anos e, a cada dia que passa, enche-nos mais de orgulho. Admiro a tua motivação e dedicação em todos os projectos em que te envolves – desde o judo à faculdade. Adoro que sejas dos poucos homens educados que conheço, embora não toleres que te pisem os calos (também és leão, pois claro). Fico de coração cheio quando te vejo preocupado em ires visitar a mãe para que não fique sozinha, e o esforço que fazes para ouvir as conversas chatas do pai. Fico orgulhosa que sejas bom cozinheiro e babada por ter visto o quão bom namorado consegues ser (ladies, há mesmo muito poucos homens assim tão respeitadores, fiéis, dedicados e sexies!).

Sabes que és o meu melhor amigo e só esse facto diz tanto sobre ti – sim, aturar-me não é obra para qualquer um. Por tudo isto e muito mais, o que te desejo, hoje e sempre, com todas as minhas forças, é que continues a lutar pelo que quer e acredita porque eu estarei sempre do teu lado a apoiar-te e a incentivar-te a seres (ainda) melhor.

Meu amor, que estes 21 anos te tragam muitos momentos felizes e que muitos deles sejam ao meu lado. Nunca mudes, o mundo precisa de mais homens como tu.

Um grande beijo da tua mana