Livro "Diz-lhe Que Não" Helena Magalhães

Já sigo a Helena há algum tempo. Não foi preciso conversar muito com ela para perceber que me identificava com a sua maneira de pensar e sentir. Atrás do The Styland, e em particular da rubrica O Amor É Outra Coisa, percebi que a Helena é uma inspiração para todas nós, mulheres do século XXI.

A Helena realizou o seu sonho de publicar um livro da sua autoria. “Diz-lhe Que Não” tornou-se, nas primeiras frases, um dos meus livros preferidos. E porquê? Porque a Helena teve a coragem de partilhar detalhes íntimos da sua vida, num registo muito próprio. Ler o seu livro, ou qualquer um dos seus artigos, é sentir que estamos a ler um desabafo de uma amiga.

Jornalista de profissão e apaixonada pelo prazer da leitura, a Helena é, no universo de bloggers, das poucas que considero que sabe escrever. Consegue, nas primeiras palavras, conquistar a minha atenção e pôr-me a ler tudo até ao fim. Sim, os temas sobre os quais escreve são temas que me interessam e com os quais me identifico. E sim, o facto de me rever na sua perspectiva da vida e das coisas também ajudam a que aumente o interesse. Mas a sua forma de escrever, com a pontuação sempre no sítio certo (desculpem-me mas, com tanta gente na internet que não sabe escrever, estes detalhes tornaram-se importantes para mim), o discurso fluído e descontraído, faz com que seja um prazer lê-la.

O “Diz-lhe Que Não” é uma obra ousada. Não acredito ter a coragem de Helena para assumir perante o mundo os meus amores e desamores e, acima de tudo, os erros que cometi com os homens – e já cometi mais do que aqueles que me orgulho. Ainda assim, é obrigatório agradecer-lhe. Obrigada, Helena. Obrigada pela tua ousadia, pela tua partilha. Através das aventuras que narraste, consegui não me sentir tão mal com as minhas histórias amorosas. E nós, mulheres, precisamos de pessoas como tu. De alguém que nos inspire e que nos abra os olhos. Precisamos de nos mentalizar que o nosso amor verdadeiro anda por aí algures. Vai ser difícil encontrarmos a pessoa que nos vai deixar nas nuvens, mas havemos de a encontrar. Sem pressas e sem pressões. Mas é importante não nos confinarmos a relações que estão falhadas à partida. A pessoas com quem não nos identificamos apenas pelo medo de ficarmos sozinha, e aceitarmos migalhas quando merecemos o bolo inteiro.

No entanto, e apesar de o livro se focar, maioritariamente, em casos que falharam – exemplificando onde erraram eles e onde erramos nós – , termina de forma positiva e esperançosa. É importante não perder a esperança no amor porque, quando o encontramos, faz tudo o resto valer a pena. Todas as lágrimas, todas as noites sem dormir, toda a angústia e toda a dor. Tudo vale a pena quando encontramos a pessoa certa, pelo menos para aquele intervalo de tempo.

Sou a prova viva disso. Precisei de passar por alguns desgostos amorosos – com tipos iguais ou piores a alguns dos personagens descritos no livro – mas encontrei a minha “agulha no palheiro”. Com os seus defeitos e o seu feitio. Mas que me tira o fôlego e que fez todo o meu sofrimento anterior valer a pena só por encontra-lo. E pode não ser para sempre, mas é o meu tudo. A pessoa onde me sinto em casa.

Quer tenham encontrado o vosso mais que tudo, quer estejam sozinhas e felizes ou sozinhas e infelizes, este é um livro obrigatório. A todas nós. Estão prometidas algumas horas de pura diversão e descontracção.

E a ti, Helena, continuarei sempre a dizer que sim. Enquanto me fizeres sonhar, enquanto mantiveres os teus ideais bem assentes, a tua determinação para uma união e emancipação do poder feminino e a tua capacidade incrível de contar histórias. De mim, terás sempre um sim.

Podem encontrar o livro “Diz-lhe Que Não” à venda em livrarias e hipermercados por cerca de 15€, e seguir a Helena Magalhães no seu blog The Styland.