Pílula

Tomei a pílula desde os meus 12 ou 13 anos porque tinha um desregulamento hormonal. A pílula, em conjunto com outros medicamentos, ajudou-me a acalmar este problema e a regula-lo, tendo continuado a toma-la até ao final do ano de 2014. Em 2015, estando solteira e bem assim, decidi que iria fazer uma (finalmente) pausa na pílula passados mais de 10 anos e, dessa forma, poupar uns trocos por mês.

Nos primeiros 4 meses, tudo bem… O período aparecia sempre na data estimada e nada de estranho aconteceu. Mas, lá para Junho/Julho, foi o descalabro! O período nem vê-lo e BOR-BU-LHAS everywhere!!! Eu nunca tive borbulhas (ok, tinha uma ou outra especialmente antes da menstruação mas no big deal) e, de repente, a minha cara estava coberta delas especialmente na parte de baixo – na linha do queixo até às orelhas. Foi o desespero e eu não compreendia o porquê. Achei que estava a fazer alergia a qualquer alimento que comia diariamente, achei que estava a ter um surto de acne aos 25 anos e entrei em desespero. Até que li qualquer coisa que a Helena do The Styland colocou no seu Facebook precisamente sobre a ligação entre o final da pílula e o ataque desgovernado de borbulhas e fez-se um clique!

Decidi ir à farmácia e voltar à Yasmin, mas resolvi perguntar primeiro à farmacêutica se sabia de alguma relação entre a pílula e o acne. A menina quer engravidar, perguntou-me ela. Eu respondi: Deus me livre e guarde, só daqui a muitos anos e quando encontrar um progenitor decente. Depois de se rir, explicou-me que a pílula regula todas as nossas hormonas e pílulas como a Yasmin têm, na sua composição, alguns elementos que ajudam a tratar da pele. Por isso, mesmo não tendo um histórico de acne, as borbulhas apareceram após ter terminado a pílula, mas voltaria à minha pele do costume assim que a voltasse a tomar.

Agradeci esta dose de conhecimento que, ingenuamente, me escapou ao longo dos últimos meses e voltei à minha Yasmin. Já vou na segunda embalagem desde que retomei mas noto uma grande diferença nas borbulhas. Ainda as tenho, é um facto, e algumas ainda me irritam, mas tenho de reconhecer melhorias. Agora, é só esperar que tudo volte ao normal de vez e prometer que nunca vou deixar de tomar a pílula a menos que queira engravidar. Daqui a 10 anos, talvez. Talvez mais.