Esta última semana foi difícil, e com alguns erros.

Sou daquelas mulheres que sofre horrores com o TPM. Sem saber muito bem como descrever o que se passa por mim nesses dias diabólicos de forma rigorosa, só consigo expressá-lo dizendo que é como se fosse possuída por um ser maligno. Algo que se apodera de mim e me faz dizer e fazer coisas com as quais não me reconheço (mas que só apercebo quando esse espírito me abandona). Para além de chorar que nem uma perdida à mínima coisinha que se me aconteça no meu dia (ou, se me atrever a ver um filme com cenas tristes ou românticas, é de cortar os pulsos), fico assombrada com desejos que não consigo controlar. Os meus desejos tornam-se superiores a qualquer força de vontade e ambição de perder peso e atingir o meu resultado. Fico cega, eu sei, e a culpa é inteiramente minha que, nestas alturas, me devia fechar no quarto, apenas com a comida que me é permitida, de quarentena.

E, por isso, cometi erros. Desviei-me, por momentos, da minha missão alimentar, embora sem nunca faltar a um único tratamento redutor ou endomassagem na BodyConcept do Saldanha. No entanto, não deixei que acontecesse o que aconteceu de outras vezes. É que antes, quando cometia alguns deslizes seguidos, dava por perdida a batalha e desistia. Agora, percebi que a verdadeira guerra se ganha ao não desistir. Cometi erros? Vacilei na alimentação? Então é preciso compensar nos dias seguintes, fazendo tudo certinho!

Mas, sabem… nem tudo foi mau! Felizmente, a Nutricionista que me está a acompanhar na Dieta dos 3 Passos esteve de férias uma semana, pelo que só fui fazer as medições ontem – uma semana depois. Penso que o facto de ter sido tão regrada antes e depois destes vacilos me permitiu não ter resultados tão desastrosos na consulta seguinte, embora saiba perfeitamente que se não tivesse vacilado tanto, tivesse tido muitos melhores resultados.

Ainda assim, e sem exercício físico (porque, vou-vos confessar, o facto de estar há tanto tempo sem hidratos de carbono tem-me deixado mais cansada do que o costume), os resultados notam-se. E notam-se bem.

O peso não desceu drasticamente, é um facto. Perdi, ainda, apenas menos cerca de dois quilos desde que comecei. E, embora o meu objectivo inicial fosse a perda de 8kgs, fico igualmente satisfeita se o volume continuar assim. Acho que a imagem acima diz tudo! Os centímetros estão a desaparecer e a silhueta a redefinir.

Pelo facto de ter um irmão atleta em casa, que me está sempre a dar na cabeça, aprendi que o peso não é tudo. Podemos ter um atleta de 70kg que tem pouquíssima gordura no corpo e é só músculo. E podemos ter uma pessoa de 70kg que está obesa. Começo cada vez mais a focar-me apenas na questão do volume até porque, sendo mulher e tendo a menstruação, o meu peso oscila bastante nesta fase e prefiro focar-me, de momento, no estímulo visual.

É que, para mim, o facto de me olhar ao espelho e conseguir ver esta mudança, é muito mais motivador do que a questão do peso. Mas muito mais, mesmo! Ter ido às compras e já comprar números abaixo, gostar mais de me olhar ao espelho e estar a retomar auto-estima para usar certas peças que tinha vergonha de usar porque estava mais gordinha é, para mim, muito motivador.

Não há dúvida que controlar a alimentação e fazer os tratamentos redutores da BODYCONCEPT fazem efeito e eu não podia estar mais satisfeita. Falta um mês para terminar o objectivo e a vontade é cada vez maior!

PS: Vamos ignorar a lingerie das fotografias que só é usada para os tratamentos, boa? 😂