Ainda há homens com gestos bonitos

Sou uma pessoa bastante emotiva e tenho tido dias muito intensos ultimamente. Este sábado foi um desses dias, daqueles que chegamos ao fim completamente estoiradas e com um grande desgaste emocional.

Decidi contrariar o meu estado de espírito e ir beber um copo com uma amiga. Fomos para uma esplanada em Setúbal que estava cheia de gente e, quando ela puxou por mim para que eu desabafasse, dei por mim a chorar. Quase, aliás, porque consegui impedir as lágrimas que queriam cair. Longe de mim querer fazer uma choradeira em praça pública, ainda por cima em Setúbal. Pedi para mudarmos de assunto e controlei o impulso. Continuámos a falar, desta vez sobre assuntos mais positivos e, poucos minutos depois, um rapaz chega perto da nossa mesa com uma rosa na mão e entrega-ma.

Vi que estavas triste e a chorar e achei que ias gostar”, disse-me ele em inglês com um sorriso simpático. Não sei bem qual foi a minha cara, mas o meu espanto foi total. Olhei para a minha amiga e ela estava tão incrédula quanto eu.

Só tive coragem de lhe agradecer pelo gesto, que foi tão genuíno e simpático que me desarmou por completo. Ainda falámos um pouco e ele explicou que era alemão e que estava em Lisboa há duas semanas a viver com um amigo, mas a conversa ficou por aí.

“Vês, amiga, ainda há homens bons e atenciosos no mundo”, dizia-me ela. Claro que não é de um desconhecido que nós queremos receber rosas, mas soube bem, não vou mentir.

O que aquele rapaz alemão fez foi um gesto incrível. Quantas vezes vemos desconhecidos na rua a chorar, ou mal dispostos, e passamos ao lado como se não fosse nada connosco? Quantas vezes fingimos que nem vimos para não ajudarmos? Aquele rapaz não me conhecia de lado nenhum, não me ia voltar a ver, mas teve um gesto altruísta que mudou o meu estado de espírito. Que me fez sentir melhor.

Esquecemo-nos que os nossos gestos têm impacto em quem nos rodeia, para o bem e para o mal. E, para mim, o episódio de ontem à noite abriu-me os olhos. Da próxima vez que vir alguém triste, mesmo que não conheça a pessoa, vou tentar contribuir um pouco para que fique melhor. A nós não nos custa nada e para os outros pode ser tão importante.

Por um mundo menos egoísta e com mais homens com gestos bonitos.