Livro "A Viúva"

Depois de ter lido e adorado “A Rapariga no Comboio”, recomendaram-me a leitura do recém chegado “A Viúva”, de Fiona Barton. Apesar de adorar romances, ou não tivesse crescido com as histórias de amor da Disney e de ser uma romântica incurável, este tipo de livros mais “policiais” deixam-me sempre presa.

Não vos vou desvendar muito do que se passa em “A Viúva”, nem de como termina. Para quem leu “A Rapariga no Comboio”, posso-vos adiantar que é o mesmo tipo de narrativa. A história é composta por pequenos capítulos, que vão saltando no tempo, e que são narrados na perspectiva das diferentes personagens.

Era uma vez, uma jovem mãe solteira a quem raptaram a sua filha, Bella, há alguns anos. Era uma vez uma mulher que ficou viúva, anos após o seu marido ter sido acusado de raptar e matar Bella. E era uma vez o detective que andou a investigar o caso durante todo esse tempo. Estes são os três personagens que vão contando a história na sua perspectiva. Até ao fim do livro vamos continuando sem saber, afinal, quem raptou a miúda. E estará ela viva, ou morta? Será o homem o verdadeiro culpado? Será a sua mulher, obcecada com crianças? Ou terá sido a própria mãe? Ou terá sido o pai que desapareceu antes do nascimento da filha?

No meio de todas estas incógnitas, surge a realidade dos chat rooms dos pedófilos, que se juntam online para trocar pornografia infantil, expondo uma realidade com a qual não estamos habituados, mas que existe. E que é perturbadora.

“A Viúva” é um daqueles livros que me captivou sem que tivesse dado bem conta. Ao início tive de me obrigar a continuar a ler mas, quando dei por mim, já estava quase no fim. Mais uma leitura de Verão recomendada aqui pela je. Venha de lá o próximo!

Podem comprar o livro “A Viúva” nas livrarias habituais, ou encomendar online na FNAC ou Bertrand por cerca de 17€.