Cadernos

De vez em quando, recebo mensagens de algumas pessoas a pedir conselhos sobre isto de estar presente na blogosfera. Pedem-me algumas dicas para iniciantes, ou para dar uma vista de olhos nos seus blogs e dizer o que acho que poderiam mudar.

A verdade é que, apesar de ter um blog, estou longe de me sentir uma especialista na matéria. Não sou dona da verdade, a não ser da minha, mas considero que há alguns elementos importantes que devem ajudar a que decidam se devem, ou não iniciar um blog.

1 – Só queres receber produtos e ir a festas

Maltinha, os produtos não caem do céu. Não se cria um blog num dia e se começa a receber produtos na semana seguinte. Até conseguirem chegar às marcas e agências de comunicação que as trabalham, devem apresentar um projecto consistente. Não criem um blog para receber produtos, porque estão a fazê-lo por um motivo “errado” e os vossos leitores vão perceber isso pela maneira como escrevem.

2 – Não tens tempo para ser consistente

Ter um blog exige muito tempo e dedicação – embora meio mundo pense o contrário. São vários os dias em que não tenho inspiração, ou que estou cansada, ou que queria ir dormir mais cedo, mas fiz um compromisso de ser consistente nas minhas publicações, e esforço-me ao máximo por não falhar. Se publicam um post hoje e só voltam a publicar passado um mês, os vossos leitores perdem a paciência (e deixam de vos seguir ou de vos ver no feed de notícias).

3 – Não és o/a melhor a português

Não estou livre de dar, de vez em quando, algumas calinadas a nível de português. Toca a todos e por vezes estou tão cansada que nem dou conta. Valem-me os meus leitores assíduos que me avisam sempre dos meus erros (obrigada mãe e tia do meu coração). No entanto, enquanto leitora de outros blogs, se há coisa que detesto é entrar num blog e ler um artigo cujo português faz Camões dar voltas no túmulo.

O blog é um espaço de leitura e, para isso, convém que seja feito num português correcto. Não estou a falar do acordo ortográfico, com o qual nem concordo. As vírgulas, por exemplo, devem estar bem posicionadas para não cortar o sentido às frases (se vocês soubessem o quanto me irrita ler textos com má pontuação…). Já para não falar em falhas colossais como “disse a ele” ou “voçês”. Sejam rigorosos na vossa escrita porque isso faz-vos perder ou ganhar seguidores. Acreditem, eu já deixei de seguir blogs com fotografias lindíssimas porque o português deixava muito a desejar (já para não dizer que, se representasse uma marca, não iria apostar num blog cujo autor não soubesse escrever correctamente). Por isso, se a escrita não é a vossa praia, não pensem nisto de ter um blog.

4 – Não tens paixão pelo blog

Se estás a fazer um blog só porque sim, porque queres muito receber produtos ou porque te apetece ir a festas e achas que seres blogger vai fazer de ti uma vedeta, não acredito que seja um bom motivo para iniciares um blog. Investe neste projecto apenas se tiveres uma verdadeira paixão pelo tema que estás a explorar. Seja por partilhar receitas originais porque adoras cozinhar, seja por falares entusiasticamente sobre os teus filmes e séries preferidas, fazer reviews de produtos de beleza ou tutoriais de maquilhagem porque adoras o mundo dos cosméticos, o que importa realmente é que escrevas com paixão. Que tenhas gosto por aquilo que estás a fazer. É que, se tiveres mesmo gosto por isso, a paixão e o entusiasmo transmite-se na tua escrita, mesmo que o português não seja o melhor. E essa adoração pelo tema vai fazer com que os leitores se envolvam e as marcas queiram trabalhar contigo.

Esta é a minha visão das coisas, e cada uma tem a sua. Concordas com a lista? O que acrescentarias?