Living in B's Shoes Bárbara Bação

Com o passar dos anos e com a experiência que fui acumulando, fui aprendendo algumas lições. Ou tentando, pelo menos. Percebi que há várias mentiras que tenho de parar de dizer a mim mesma. Aceitar a verdade é meio caminho andado para começar a fazer melhor, não é? Então aqui vão elas.

“Não tenho tempo”

Esta é uma mentira crassa que opto por dizer a mim mesma várias vezes. Raras são as vezes que não tenho realmente tempo para fazer algo – o que me falta é paciência, energia ou disponibilidade mental. E isso é importante reconhecer. Dizer que “não tenho tempo” é apenas uma desculpa que uso quando não quero fazer algo, como ir ao ginásio. É mais fácil dizer que não tenho tempo do que assumir que estou exausta ou que não é a minha prioridade.

“Não quero saber”

Digo isto na minha cabeça vezes e vezes sem conta para me tentar mentalizar, mas nunca resulta. Sou daquele tipo de pessoas que fica a matutar em tudo e mais alguma coisa (típico de gaja, não é?). Tento mentalizar-me que certos detalhes não me afectam e que não quero saber, mas é mentira. E a energia que gasto a tentar mentalizar-me disso ainda me deixa mais frustrada.

“Não sei fazer”

É uma desculpa tão fácil de se dar quando estou preguiçosa e não me quero mexer para fazer nada. Ás vezes estou com tanta coisa para fazer que não quero perder tempo a procurar e a aprender. Mas está errado. Quando não sei fazer (ou não me lembro), basta ir ao Dr. Google e procurar. Está lá tudo!

“Fica para amanhã”

Oh meu Deus. Digo isto tantas vezes. O cansaço é tanto depois de um dia de trabalho e de curso que dou por mim a adiar muita coisa para o dia seguinte. O problema é que o dia que sucede nunca é menos agitado. Vou atrasando tarefas por preguiça (e cansaço) de fazer hoje e algumas delas (as menos importantes) vão ficando para a última. Acabo por me sobrecarregar mais no fim por isso, é importante organizar tarefas e atribuir-lhe dias concretos. A preguiça é que tem de ficar para amanhã.

Quais são as mentiras que dizem a vocês mesmas e que têm de parar de dizer?