10 formas de fazeres de 2018 o ano mais saudável de sempre

Bem sei que Janeiro já caminha para o fim, e que muitas das resoluções que fizemos foram, como em anos anteriores, deitadas ao lixo. Mas há um conjunto de medidas que devíamos tomar sempre para termos um ano mais saudável – física e mentalmente. É por isso que andei a investigar e elaborei uma lista com 10 formas de fazeres de 2018 o ano mais saudável de sempre.

Andar sempre com uma garrafa de água

Embora, no final do ano passado, este hábito se tenha perdido um pouco na minha rotina, sempre fui o tipo de pessoa que andava SEMPRE com uma garrafa de água atrás. Aliás, o facto de sair de casa sem uma, deixava-me logo cheia de sede. É psicológico, eu sei. Mas a água é tão importante para o nosso corpo e não nos devemos privar de beber água. No meu caso, costumava até beber pelo menos 0,50 litros de água entre sair de casa e chegar ao trabalho. No total, bebia cerca de 2 litros de água por dia. A minha pele estava muito mais nutrida e o meu corpo funcionava melhor.

Tratar da digestão

Desde miúda que tenho problemas de digestão e intestinais. Sim, não é o tema mais apelativo de sempre, mas é um facto que o nosso estômago e o nosso intestino estão no centro do nosso corpo e se não estiverem a funcionar bem, dificilmente o resto do corpo funciona também. Acredito que muitos de vocês já tenham sentido isso – se estiverem mal do estômago, a sensação de mau-estar é dominante e até o humor muda radicalmente. Bem, já para não falar da sensação de inchaço. Se têm problemas digestivos, há várias medidas que podem (e devem) começar já a fomentar. Por exemplo, fazer um teste de intolerância alimentar, para descobrir se há algum alimento ao qual sejam intolerantes. Devem também garantir que consomem legumes e fibra suficiente, bem como tentar incluir na vossa alimentação como alimentos probióticos.

Leva o teu próprio almoço

Desde meados de 2017 que tenho almoçado e jantado frequentemente fora. Uma estupidez, eu sei. Não só gastei imenso dinheiro inutilmente (embora eu ache que dinheiro gasto em comida é sempre bem gasto), como podia ter feito escolhas muito mais saudáveis. Há que pôr a preguiça de lado e procurar refeições fáceis e rápidas de fazer que, ao mesmo tempo, sejam saborosas. Por exemplo, há quem dedique 2 ou 3 horas do seu domingo a cozinhar quase para a semana toda. Para isso, façam um plano daquilo que querem que sejam as vossas refeições para toda a semana e mantenham-se focados. Sopa e saladas são fáceis de fazer, mas se cozinharem peito de frango, arroz e ovos, aguentam-se alguns dias e podem ir combinando.

Reduzir o açúcar

Especialmente desde que descobri o quão delicioso é o cheesecake (o único bolo que sou capaz de comer), a minha ingestão de açúcar disparou. E todos sabemos que o açúcar é uma droga – vicia e só faz mal ao nosso corpo. O açúcar pode ser substituído por outros ingredientes adoçantes, como é o caso da sucralose ou do mel, que não fazem tanto mal à saúde.

Ir para a cama mais cedo

Esta foi a pensar em vocês e não tanto em mim (sim, eu sou um “cu de sono”). Mas tenho muitos amigos que se deitam muito tarde ou que não dormem, frequentemente, as 7/8 horas de sono diárias recomendadas pelos especialistas. Há um bom motivo para que se recomende tantas horas de sono por noite – porque traz benefícios para a nossa saúde (melhora o humor, aumenta a produtividade, ajuda na perda de peso, etc). E há estudos recentes que indicam que quem adormece antes da meia noite, consegue ter um sono mais profundo.

Detox tecnológico

Vivemos atrás de ecrãs na maioria dos nossos dias. Telemóveis, tablets, computadores, televisores. E a tecnologia, por muito que nos facilite a vida, também nos vicia e afasta de hábitos mais saudáveis e mais sociais (no cara-a-cara). Fazer um “detox tecnológico” todos os dias é um desafio, mas pode trazer vantagens. Escolham uma hora do dia para deixarem de lado tudo o que seja tecnologia. Por exemplo, antes do jantar. Leiam um livro, brinquem com os vossos filhos, peguem num bloco de notas e apontem ideias, vão ao ginásio ou dar um passeio. Há uma espécie de sensação de libertação nesta medida, vão ver.

Um diário da gratidão

Esta medida parece-me particularmente interessante porque, tendencialmente, deixamo-nos focar apenas nas coisas más que nos acontecem, ao invés de nos focarmos no positivo. Pelo menos comigo é assim. Acredito que com alguns de vocês também. Criarmos um diário da gratidão (que até comecei a escrever já no dia 15.01.2018), é uma forma de realçar os nossos sentimentos de felicidade. Há quem dia que ajuda a diminuir os níveis de stress e que, com a prática regular, se torna um hábito saudável para o nosso espírito. Quer seja num bloco de notas que ande sempre convosco, quer seja um “memo” no vosso telemóvel, experimentem escrever, todos os dias, o que aconteceu de bom nesse dia. O que é que vos deixou gratos? Uma conversa profunda com alguém importante? Um elogio ao vosso trabalho? Tudo conta.

Fazer alongamentos

Dizer que devemos ser consistentes no que diz respeito à prática de exercício – seja ele correr, levantar pesos, dançar ou caminhar – é algo que todos sabemos. Mas alongar o nosso corpo também traz inúmeros benefícios e nem sempre nos lembramos disso. Podemos alongar o corpo apenas com 5 minutos diários, em frente à televisão enquanto vemos a novela ou um filme na Netflix. Os músculos agradecem e o próprio corpo parece que fica mais leve. Para quem tem dificuldades em adormecer, até pode ajudar nisso.

Um encontro por semana

É fácil prometermos que vamos beber um café com alguém, mas acabamos por deixar a nossa vida (e a preguiça), meter-se no caminho. A verdade é que estarmos com pessoas de quem gostamos é fundamental para o nosso bem-estar. Seja com amigos ou numa relação familiar, é preciso cultivar a presença física. Trust me, i know. E se marcamos tanta coisa nas nossas agendas que consideramos inadiáveis, há que haver espaço e tempo para as pessoas que realmente importam. O desafio é este: um encontro importante por semana. Seja com aquela amiga que não falamos há meses mas que não perde a importância que tem para nós, seja com o namorado com o qual nunca mais tivemos tempo de qualidade a sós.

Uma pausa de cinco minutos

Esta medida já a pus em prática algumas vezes e noto bastantes melhorias na minha concentração e humor. Saber parar, nem que seja por cinco minutos, pode contribuir para mudar o rumo do nosso dia. Embora nunca tenha praticado meditação – e esta ferramenta seja utilizada por quem o faz – parar cinco minutos e concentrarmo-nos apenas na nossa respiração é algo que nos acalma, reduz o stress e melhora a concentração. Faço-o quando estou particularmente irritada, como forma de me acalmar. Mas comecei a colocar alarmes no telemóvel para que, durante o dia, faça estas pequenas pausas: uma a meio da manhã, uma a meio da tarde e uma antes de dormir.